Tupanciretã abre de forma inédita o Brasileiro e Gaúcho de Velocross

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 17 de outubro de 2020 - 22:46

Coube a pista do Parque Motonáutico em Tupanciretã no RS dar o pontapé inicial nos dias 10 e 11 de outubro no campeonato Brasileiro e Gaúcho de Velocross da temporada 2020. Uma temporada atípica, cheia de regras, protocolos e modificações em nossas vidas devido a pandemia da COVID 19 que assombra nossas vidas esportivas, profissionais e sociais.

Pilotos de todas as categorias do Gaúcho e Brasileiro de Velocross vibraram com a quadricilada em Tupanciretã

Mais de 300 pilotos foram ao centro do estado participar da abertura de dois campeonatos mais esperados dos últimos 100 anos. Os duelos começaram nos treinos livres no sábado pela manhã, e nos cronometrados logo em seguida. O número de pilotos foi surpreendente, tanto que em muitas categorias foram feitas provas de extras para formarem o número máximo de pilotos em peças no gate, as chamadas classificatórias. A grande maioria teve gate lotado em 100%.

Acesse o FACEBOOK da IVAGRO e também o INSTAGRAM

O sábado começou quente com as disputas das categorias Nacional 45 e 50 especial. O piloto de Vera Cruz / RS Giovani Pick largou melhor, fez o hole shote seguidido de Fernando Sanches e Júlio Balzan, piloto de Tupanciretã que foi um dos responsáveis pela realização da etapa. Em duas voltas, Júlio é 2º e em quatro voltas, assume a ponta para vencer na geral. O piloto da casa vence a VX45 Especial seguido de Giovani Pick, Fabiano Ribeiro, Fernando Sanches e Nasri Sarkiss, O Turco.

Largada acirrada na categoria

Pela VX50 especial, Júlio também é o primeiro com Fernando Sanches em 2, Turco em 3º seguido de Renato Bonfanti e Léo Lopes.

Júlio venceu em casa

Em seguida foi a vez da Intermediária 250 Nacional, prova em que Jefferson Gregula aparece na frente como uma bala na curva um, fato estranho visto que foi penalizado por queimar a largada.

Diogo Natan, Gustavo Deufel, Jader Martini e Giovani Araldi andavam na mesma tocada no primeiro pelotão. Com mais de meia prova, e em recuperação João Benedussi encosta de vez na briga pela vitória. Na reta final o piloto de Encantado assume a liderança para vencer a categoria. No pódio subiram João Benedussi, Jader Martini,Jeferson Batista, Douglas “Dodo” Carvalho e Giovani Araldi.

Faltou espaço na primeira curva na largada da Intermediária 250 Nacional

Por sua vez a VX 45 e VX50 Nacional tiveram Danny Oliveira largando na ponta, piloto arrojado, mas que na primeira volta cai um tombo espetacular, perdendo os sentidos é prontamente socorrido. Com a volta das disputas Giovani Pick, da categoria VX45 busca a liderança para vencer o duelo com Edinaldo Sedran que receberam a quadriculada com diferença de menos de dois segundos. Além deles na VX 45 ficou em 3º Adriano Pupp seguido de Rafael Valentini e Everton Marchezan.

Pick #125 levou a etapa

Na VX50 Ernei Kaminski, Gilmar Bianquezzi, Giovani Coletto, João Machado e Evandro Andrade ficaram nas 5 primeiras posições.

Na VX50 Ernei Kaminski levou a melhor

 Em seguida entrou na pista a Nacional 230 Original prova em que Matheus da Costa largou na ponta seguido de Lorenzo Machado (piloto de Tupanciretã), Eduardo Antunes, Gabriel Schiefelbein e Gustavo Coitinho num pelotão muito agressivo. Entre o 1º e o 5º lugar, as alternativas eram muitas, tanto que o pelotão não se desgrudava. Por final a vitória veio para Lorenzo que duelou com Da Costa até a quadriculada, entretanto o piloto de Ciríaco foi desclassificado por não cumprir a regra de apresentar a moto no parque fechado. Os primeiros foram: Lorenzo, Eduardo, Gabriel, Gustavo e Ronei Curzel.

Gustavo Coutinho representa a nova safra de pilotos do velocross. Em Tupanciretã andou bem chegando em 4º lugar na Nacional 230

Uma das provas mais esperadas era a VX4 especial, corrida em que andava a fera Paulo Stdédile, um ícone do motocross nacional agora andando no velocross e que por onde anda carrega uma onda de torcedores. E Stédile não decepcionou largou no pelotão da ponta colado com o líder Luciano De Conto que fez o hole shote e ainda tinha Rodrigo Volcan, Giovane Pick e Elizandro Costa no primeiro bloco. Paulo Stédile assume a liderança ainda na volta de número um.  Volcan ainda no começo ultrapassa De Conto e pressiona o líder. Após alguns duelos e trocas, a corrida que teve 15 voltas terminou com Paulo Stédile vencendo por menos de 2 segundos e seguido de Volcan, Elizandro “Costinha”, Luciano De Conto e a fera da casa Júlio Balzan.

A fera Paulinho Stédile vencedor da abertura do Brasileiro de VX

Acesse o FACEBOOK da IVAGRO e também o INSTAGRAM

A garotada da 65 cc também fez bonito e o piloto Luan Durante fez uma largada arrojada fazendo o hole shote seguido de Lucas Matos e Luis Gustavo Walter com Bernardo Fontana mais atrás. Em três voltas, o líder já era Lucas Matos com Luis Gustavo em 2º, Bernardo e Luan com João Lanzzarin no encalço do pelotão. Duelos aconteciam em todas as posições e em cada curva, sinal de que temos uma safra boa de pilotos de velocross por ai. A quadriculada foi dada para Lucas Matos seguido de Luis Gustavo, Erick Paini, Bernardo Fontana e Luan Durante.

Lucas Matos vencedor da 65cc

A VX 4 Nacional teve Elizandro da Costa, O Costinha largando na ponta, mas um acidente interrompeu a prova. A relargada foi um espelho, com Costinha largando na frente com Rafael Valentini, Sandro Alexandre, Giovane Pick e José Augusto Arprino formando o pelotão inicial. Na 3ª volta Sandro assume a 2ª colocação e Luciano De Conto chega no pelotão em prova de recuperação. Pick trava duelos interessantes e fica no top 5. Costinha venceu, com Sandro em 2º, De Conto, José Augusto e Pick no pódio.

Costinha #48 venceu de ponta a ponta

O domingo, após os treinos de warm up a MXF especial com motos importadas, largou com a campeã Maiara Basso largando como uma flecha na ponta, mais atrás Tayná Zolet e Pryscila da Silva. Maiara abre grande vantagem, assim como Tayná e não tem dificuldades em cruzar a linha de chegada. Pryscila foi 3º com Barbara Pancera e Sabrina Costa as cinco primeiras.

Maiara Basso #1 venceu de ponta a ponta a MXF

Na Intermediária VX2 o piloto de Veranópolis, Kauê Benatto faz o hole shote com Mateus Hernandes em 2º e o piloto da casa Lorenzo Machado que largando mal já buscava recuperação. Na 5ª volta, Hernandes aparece na liderança após Kauê sofrer um tombo e abandonar. Nesse momento o piloto da casa Lorenzo Machado já era o 2º com Gonçalo Silva em 3º, Alvaro Neto em 4º e Gabriel Menegusso em 5º, ele que largou no pelotão da frente. Em um grande pega Lorenzo, nas voltas finais, assume a ponta para vencer em casa. Hernandes com Gonçalo, Menegusso e Alvaro Neto também subiram no pódio.

Gates em sua grande maiori lotados para a bertura do VX em Tupanciretã

Lorenzo fez bonito e venceu a intermediária VX2

A VX3 Especial veio com uma largada acirrada entre Leandro Lemos que fez a curva um na ponta, Maiara Basso na sombra, Juliano Mercalli em 3º com Luis Henrique Zottis na 4ª colocação. Maiara erra a marcha na 2ª volta e Mercalli é 2º, Leandro respira.  Edinilson Batista que não largou bem começa a recuperação, passa para 4º e logo depois vai para 3º lugar na etapa. Leandro Lemos leva 3 segundo de vantagem, segura a liderança e vence com Juliano Mercalli em 2º, Batista em 3º.

 Completando o pódio veio Luciano Oliveira e Emerson Kruschardt que buscaram a posição no meio da prova.

Gate cheio e largada acirrada na VX3 Especial

A Nacional 250 pró teve Alex Assmann largando na frente com Mauro Brazaca Júnior em seu encalço. Foi um duelo de tirar o fôlego com alternativas a cada volta. Ainda no primeiro terço da corrida, tínhamos Guto Campos em 3º com João Benedussi em 4º e Antônio Edu Brazaca logo atrás. Ao apagar das luzes, faltando 2 volta Mauro Brazaca, O Brazaquinha assume a liderança e Edu Brazaca busca o 4º lugar. Mauro venceu seguido de Alex, Anthonny Gervásio que saiu da 6ª posição buscando resultados, Edu Brazaca e Pedro Henrique da Silva que completou o pódio.

Junior Brazaca passa com estilo ao vencer a prova

Acesse o FACEBOOK da IVAGRO e também o INSTAGRAM

Na MXF Nacional a piloto da Chapecó, Janaína Todeschini enroscou o cabo na largada e largou na ponta seguida de, Pryscila Neves, Jordana Zuff, Kamila Rocha e Ana Fietz na curva um. Mas teve bandeira vermelha e na relargada, Janaína largou na ponta novamente com Kamila em 2º e Ana Fietz logo atrás. Logo em seguida começa o duelo das três e Ana assume a 2º colocação com Kamila em 3º. Na reta final da prova, Ana faz manobra arrojada e assume a ponta com Janaína em 2º. Kamila em 3º, Pryscila em 4º e em prova de recuperação a piloto de Santo Cristo Stefanie Dal Ri Gallas.

MXF Nacional: As meninas fizeram a festa.

Por sua vez a VX2 Especial teve Pedro Henrique largando na frente com Henrique Araújo e Lucas Basso, Gonçalo Silva, Kevin Haas e Matheus Hernandes nas primeiras posições. Lucas, que já foi campeão Brasileiro e Gaúcho de Velocross, aperta o passo, vai pra cima e na metade final da prova, assume a liderança. Leonardo Lizott busca recuperação e chega em 3º. Lucas venceu a etapa e Pedro foi segundo. Mauro Brazaca Júnior e Jordan Martini andam próximos e chegam em seguida.

Lucas Basso começou vencendo

Na VX3 Nacional, o piloto de Lajeado Carlos Lorenzini deu na veia e largou na ponta com Júlio Shuck em 2º e Edinilson Batista na 3º posição e José Arpino na 4ª colocação. Com problemas, Júlio abandona no começo da prova, Lorenzini perde o foco e Edinilson assume a liderança na metade da disputa. Leandro Lemos vem em recuperação e chega em 2º lugar com Elizandro Costinha em 3º. Arpino e Márcio Dierschnabel completando o pódio.

Edinilson Batista #100 venceu em Tupanciretã

As Minimotos e a TR 100 andaram juntas e na geral o piloto de Montenegro, Rafael Wovst, O Bolachinha “pulou” na frente com Lucas Ruwer, Nasser Eduardo e Leonardo Sirena na curva um. Em duelo espetacular, Lucas assume a p0onta e abre, Bolachinha se mantém em 2º e Davi Pilz que largou em posição intermediária, até tira a diferença, mas chega em 3º. Sirena é 4º e Guilherme Treicha em 5º lugar da Minimotos.

Lucas levou a Minimotos

Nossa categoria de base

Na TR100, Luis Gustavo Walter foi 1º e Kamila Buche 2º na etapa de Tupanciretã.

Na TR100 Luis Gustavo venceu a abertura

O clima que já estava quente, esquentou mais ainda com a Intermediária VX1. Mikael Teixeira fez o hole shote seguido de Maurício Miorando, Francisco Rolin e Artur Barcelos na curva um, Gabriel Schiefelbein mais atrás. Artur não perde tempo e na 2ª volta já aparece na liderança. O piloto de Vila Lângaro segura os ataque de Mikael e no final de Rolim. Arthur passa a quadriculada com vantagem de 6 segundos conquistados nas voltas finais. Rolim foi 2º, Mikael em 3º, Miorando se manteve no pelotão principal com a 4ª colocação e Gabriel completou o pódio.

Artur #32 largou no pelotão da frente da categoria VX1 Intermediária e venceu a etapa

 

Um dos duelos mais esperados foi a da categoria Força Livre Nacional, em que Antony Gervásio, Vinícius Rigol, Carlos Gervásio e Alex Alarcon dominam as primeiras ações da categoria na volta inicial. Antony fez o hole shote, mas Rigol fechou a volta na liderança. Alarcon assume a 3ª posição. Apesar das alternativas, e muitos duelos, as posições iniciais se mantiveram. Antônio Edu Brazaca que largou em 9º, chegou em 4º e Edinison Batista de 8º foi o 5º.

Rigol levou o caneco na categoria

A gurizada da Júnior o piloto de Guaporé Gabriel Bilhar largou na frente seguido de João Vitor Lima, Gabriel Oliveira, Caio Holz, Pietro Pirolli e Íghor Tessaro completando o pelotão principal. Na volta inicial Pietro busca uma posição e aos poucos vai subindo de rendimento até o duelo final nas três voltas finais em que Pietro faz uma manobra arriscada, mas perfeita e ultrapassa Gabriel Bilhar. Os meninos mostraram que o esporte será bem representado no futuro. Íghor, Gabriel Oliveira e João Vítor também subindo no pódio.

Largada espetacular da Júnior

Acesse o FACEBOOK da IVAGRO e também o INSTAGRAM

A VX1, considerada a fórmula um do velocross, foi sem dúvida a mais quente da etapa. Leonardo Lizott fez o hole shote seguido de Mauro Brazaca Júnior, Antônio Edu Brazaca, Lucas Basso e Rafael Faria, atual campeão brasileiro aparecem na foto da curva um. Luta de gente grande em que cada palmo era ocupado. Logo nas voltas iniciais Mauro Brazaca assume a liderança com Lizot em 2º, Faria em 3ª e mais atrás Francisco Rolim, Jordan Martini e Lucas Basso e Edu Brazaca. Nas voltas finais, a confusão da etapa. Após ultrapassagem de Lizott sobre Mauro Brazaca, a curva seguinte proporcionou algo surreal, na disputa pelo melhor lugar da curva, ambos os pilotos se chocaram e por pouco não tiveram resultados que poderia ter comprometido o campeonato atual e futuro. Faria que não teve nada a ver com isso e assume a liderança para vencer no RS. O Júri de prova analisou o movimento e desclassificou Brazaca por interpretação de pista, resultado ainda contestado. Os acontecimentos de box, é melhor nem comentar. Rafael Faria subiu no lugar mais alto do pódio, Francisco Rolim foi 2º com Lucas Basso em 3º. Jordan Martini e Leonardo Lizott completaram o pódio.

A Largada da VX1

Vitória da VX1 caiu no colo de Rafael Faria

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly