Taça Lottici Radiadores esquenta as disputas do veloterra em Lajeado

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 01 de novembro de 2020 - 16:39

A segunda etapa do Campeonato Pirelli de Veloterra promovido pela André Produções teve a parceria do Lajeado Motoclube na Taça Lottici Radiadores. Foi um dia muito quente, na pista passava e bem dos 40 graus. E os duelos esquentavam mais ainda a cada curva.

A primeira prova da etapa foi com a 65cc em que a vitória foi para Luan Durante que assumiu a liderança com 2/3 de prova quando o líder João Lanzarin se atrapalhou e caiu. Luan, Kauê Fontana,Roberto Nitsche,João e Nícolsa Sachetti os 5 primeiros.

A 55 B teve a segunda vitória de Davi Pilz que colocou retardatário na 5ª volta , e venceu de ponta a ponta seguido de João Wovst, Carlos Neto, Joaquim Velasques e Pedro Kettermann.

Na 55 A também tivemos a vitória de João Wovst, O Bolachinha sobre Gabriel Rezner. Carlos Neto foi 3º com Murilo Rezner e Joaquim Neto no pódio.

Uma surpresa na largada da Júnior Gabriel Berlato largou na ponta mas Gabriel Bilhar assume a ponta ainda na volta inicial. Aos poucos abre vantagem em vence a prova. Alex Secco assume a vice liderança na 5ª volta e Berlatto chega em 3º com Guilherme Perin e Luan Durante em seguida.

Pela Serrana Importada desta vez não bateu na trave e Maurício Marostica venceu na categoria com Dirlei Cunha chegando em 2º. Lenon Fravreto, Edinho Izéria e Rafael Mistura completaram o pódio principal da categoria.

Na Intermediária 230 Nacional, Gustavo Deufel não vacilou para vencer a etapa e se redimir da abertura em que não somou pontos. Rm 2º chegou Kauê Benatto e na 3ª colocação Giovani Araldi que manteve pontuação nas primeiras colocações da temporada. Misael Drum e Leonardo Fleck vieram logo em seguida.

A VX4 veio com a vitória de Rodrigo “Chaveiro” dos Santos que assumiu a liderança de corrida na metade final da prova e administrou o resultado até a quadriculada. Em 2º chegou a fera Giovani Pick com Ivan Pilz e Marcos Onzi logo em seguida. Ainda tivemos Elisandro Dinho Imperatori completando o Pódio.

Já pela VX3 Nacional que entrou em disputa logo em seguida, Carlos Lorenzini largou na ponta, fez o hole shote com Chaveiro em sua sombra. Ismael Drum e Giovani Pick vinham mais atrás. Lorenzini abre vantagem na pista com o passar da prova, e recebe a quadriculada em 1º. Chaveiro administra e fica em 2º, já Giovani Pick não se entrega e chega em 3º com com Geovani Redu em 4º e Cleito Sehn na 5ª posição da VX3 Nacional.

Gustavo Feltrin largou na ponta da categoria Estreantes importadas seguido de Diego Lazzari, Gabriel Bilhar. Na 3ª volta, Gabriel encosta no líder após assumir a 2ª colocação. Gabriel dá um sprit e assume a ponta para vencer a etapa. Diego vem em seguida conquistando a 2ª posição com Arthur Castro chegando em 3º, ele que não fez uma boa largada. Feltrin chegou em 4ª com Felipe Dessoy completando o pódio.

A 230 PRÓ veio com Alex Alarcon com Antônio Edu Brazzaca dividindo a curva um. Edu assume a liderança no começo, mas Alarcon dá o troco. Os dois trocavam de posição no começo em um duelo espetacular. Quem se deu melhor foi Edu que assume a liderança na 4ª volta e se mantém na liderança. Alarcon vem em segundo com Kauê Benatto na 3ª posição. Jeferson Batista e João Pedro Roncatto em 4º e 5º lugares consecutivamente.

 Na Intermediária Importada Eduardo Sbruzzi e Ricardo Moranguinho largam lado a lado com Rafael Mistura em 3º na volta inicial. Essa briga foi durante toda prova, mas Abruzzi se mantém na ponta, Mistura busca o 2º com Moranguinho na 3º colocação, que o mantém na liderança.

Alex Secchin largou na ponta da Serrana Nacional, o piloto de Protásio Alves que havia chegado em 2º na prova de abertura, desta vez largou bem e venceu de ponta a ponta. Geovani Redu largou em 2º seguido de Marcelo Soares, Kauê Benatto e Ricardo Gusberti. Apesar de toda disputa e alternativas, as posições se mantiveram até a quadriculada.

A VX3 e a VX4 importada entraram juntas na pista para classificarem-se separadas. Jorge Moreira Neto deu na veia e largou na liderança trazendo toda experiência de Giovane Pick em 2º e Dirlei Cunha na 3ª posição da geral. Neto era líder da VX3 e Pick líder da VX4.

Moreira Neto venceu de ponta a ponta a VX3 seguido de Dirlei, Ricardo Moranguinho, Rafael Escobar chegando em 4º e Jocemar Magni em 5º.

Na VX 4 o vencedor foi Giovane Pick seguido de Jocemar, Alexandre Imperatori, Rossandro Mano Sabbi e Edinho Izéria os 5 primeiros.

A Promocional até 200 Eduardo Wenzel até largou bem na categoria, foi líder por algumas voltas, mas teve problemas e não pontuou. Com isso Guilherme Godoy que largou no pelotão da frente, teve o duelo com Luis Carlos da Silva, o 4º na largada que veio com tudo e venceu a etapa. O líder Arthur dos Santos se manteve líder ao chegar em 3º. João Carneiro foi 4º e Mauro Shuster o 5º.

A VX1 Força Livre veio com Henrique Henicka largando na frente da fera Jordan Martini e de Antônio Edu Brazaca. A fera Jordan já na 2ª volta assume a ponta. Edu não vacila, segue firme e na 3ª volta é ele que busca a liderança. Jordan e Edu por vezes trocam em XIS a liderança e a vitória foi por meia roda em favor de Jordan. Edu foi 2º e Felipe Pick buscou o 3º. Henicka perde o foco e fica para trás. Guto Campos chegou em 4º e Eduardo Sbruzzio o 5º na 2ª etapa.

Estreantes 230 para pilotos de motos nacionais e que começam ou estão a pouco tempo nas competições. Nessa categoria, Leonardo Fleck largou na dianteira com a fera Gustavo Deufel na sombra do líder. Mais atrás Erick Tomaselli e Gustavo Coitinho duelando palmo a palmo. Fleck faz sua parte, segura Deufel e vence a etapa para somar os primeiros 25 pontos no campeonato. Deufel foi 2º com Gustavo Turatti em 3º, Coitinho em 4º e fechando o pódio, Ígor Jacobsen.

Geovani Redu se deu bem na Novatos Nacional seguido de Giovani Araldi. Os duelos ainda tiveram brigas por outras posições e Leonardo Bianchin chegou em 3º. Diomar Campos buscou o pódio junto com Ígor Barket.

Na 4 tempos, o duelo interminável teve Joe da Costa fazendo o hole shote com Alex Alarcon vindo em seu rastro. Alarcon pressiona, ultrapassa o líder para vencer a disputa e a 2ª etapa para se manter na liderança. Antônio Brazaca largou no pelotão frontal e buscou se aproximar mas acabou mesmo com o 3º posto. Jefferson Batista que largou em 4º confirmou a posição seguido de Carlos “Nanico” Lorenzini.

Henrique Henicka fez hole shote na VX2 com Douglas Silva, Willian Miotto, Felipe Dessoy e Maurício Maróstica. Henrique abre boa vantagem para vencer em casa de ponta a ponta, Miotto sobe uma posição para chegar em 2º. Já Gabriel Bilhar que largou em 7º, andou muito fez prova de recuperação, chegando em 3º. Maurício e Douglas chegaram logo em seguida.

Para finalizar a etapa de Lajeado, a Força Livre Nacional entrou na pista com a surpresa do hole shote de Jefferson Batista com Joe da Costa e Alex Alarcon colados no líder. Alarcon enrola o cabo e ainda na volta inicial assume a ponta da corrida. Joe vai no embalo e vai a 2º. Jefferson se mantém em 3º com Diomar Campos foi o 4º com Leonardo Bianchini na última posição do pódio.

largada acirrada na categoria FL Nacional

 

 

 

 

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly