Assis tem dificuldades para receber patrimônio da CBM

Por Adriano Winckler | Foto por Divulgação | 03 de junho de 2011 - 18:04

Passados pouco mais de dez dias desde a Assembleia Geral Extraordinária, realizada no dia 23 de maio, em Campinas, São Paulo,  a nova diretoria da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, ainda tem dificuldades para receber e identificar todo o patrimônio da entidade maior do motociclismo esportivo do Brasil.

Uma comissão formada pelo presidente Assis Aquino, seu vice, Renan Loubak, e o presidente da Federação de Motociclismo do Estado de Minas Gerais, Ricardo Vieira, chegou à Niterói, Rio de Janeiro, cidade onde fica localizada a atual sede da CBM, para a posse oficial da nova diretoria, mas não foi recebida pelo ex-presidente Alexandre Caravana, afastado após a assembleia.

A comissão veio ao Rio de Janeiro para receber a parte estrutural e física da CBM, que engloba desde os veículos pertencentes à entidade, passando por computadores, móveis e documentos, até mesmo a parte de placas de publicidade, transponders de cronometragem, bandeiras de pista e demais estruturas utilizadas nas provas de Campeonatos Brasileiros. Já na cidade, os integrantes da comissão aproveitaram para resolver problemas de ordem burocrática, como a mudança no controle das contas bancárias e o pedido de liminar movido pelo ex-presidente.

“Eu tentei vir na semana passada e não consegui, pois bloquearam tudo para impedir a minha vinda. Viemos esta semana, passamos dois dias por aqui, trabalhando de manhã até à noite. Como o ex-presidente marcou de fazer essa entrega e não o fez, agora só me resta acionar judicialmente”, declarou Assis Aquino.

Seguindo o que foi sugerido pela equipe de auditoria, o presidente da CBM decidiu colocar em aviso prévio todos os funcionários da entidade que tenham carteira assinada, e também renegociar os contratos com todos os fornecedores.

Assis Aquino encontra dificuldades em receber o patrimônio da CBM

Assis Aquino encontra dificuldades em receber o patrimônio da CBM

“Gostaria que tudo viesse ocorrendo de maneira tranquila, mas estamos passando por uma fase de transição que se mostra mais complicada do que poderia ser. Peço a compreensão de todos, principalmente de pilotos, equipes e Federações, nestas primeiras semanas. Podem surgir novas dificuldades, mas estamos trabalhando sério para que tudo se normalize o mais rapidamente possível, e que a CBM volte a funcionar da maneira como todos esperam”, completou Assis Aquino.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

JOAO RICARDO disse:

ASSIS.DENUCIA O CARAVANA NO MINISTERIO PUBLICO PARA PEDI A PRISSAO DELE.METE ESTE CARA NA CADEIA…ELE E LADRAO.. LUGAR DE LADRAO E NA TRANCA…

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Fausto, vamos pensar juntos: eles naum podiam adiar a prova há 15 dias, pois naquele momento o presidente era o Caravana, e eles naum sabiam se ele iria continuar ou não a frente da CBM.

Esta nova diretoria está no comando há 11 dias, e o ex-presidente (em mais uma atitude contra o esporte) está se negando a entregar o que é de direito da CBM.

E sem transponders, placas de publicidade e outros materiais (e tem muito material q é da CBM mas infelizmente está em nome de outras pessoas) naum tem como fazer prova.

Ter até tem, mas para que pagar aluguel destes equipamentos se a CBM tem os seus ?

Falowwww

Jorge

Luiz disse:

Jorge vc tem razão..Assis por favor leia esses comentários nossos e seja diferente com todos nós pilotos e amantes do motociclismo brasileiro!!!! Vá na imprensa e fale o que esse Caravana está fazendo!!! esclareça a nós….

fausto disse:

concordo em partes porque nao adiaram a pelo menos uns 15 dias atras todos sabiam que este mala deste caravana nao iria entregar assim de bandeija … kkkkkkkkkkkkkk

Twitter: FISCHER
IMAJINO O QUE O PESSOAL FORA DO PAÍS ESTEJA IMAJINANDO DESTA ENTIDADE ( CBM ) ATÉ AGORA COM ESTE FATO LAMENTAVEL !!! ESPERO QUE TOME NOVOS RUMOS ESTA ENTIDADE COM O ASSIS AQUINO !! DESEJO A ELE SUCESSO !!!

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Creio que agora todos nós podemos entender o real motivo do adiamento da terceira etapa do Brasileiro de Motocross em Canelinha.

Tomara que o Assis Aquino e sua nova diretoria consigam contornar o mais brevemente possível esta situação.

Simplesmente lamentável.

Jorge

FERAN disse:

Aquino, acione o Ministerio Publico, mande este cara para outra cidade…
Bangu 1

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly