Entrevista com o presidente Juvenal Alves

Por Jorge Soares | Fotos por Divulgação | 20 de junho de 2011 - 11:07

Quando começaram as denúncias de que as contas da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, relativas ao período de 2010 não estavam batendo com a realidade, ocorreram várias manifestações por parte do leitores aqui no Mundocross, e algumas delas foram dirigidas aos presidentes de Federações de Motociclismo.

Ao ler as manifestações aqui no site, Juvenal Alves, presidente da Federação Sergipana de Motociclismo – FSM, ficou muito magoado com a situação, pois ele se considerou injustiçado pelos comentários, já que vários leitores disseram que todos presidentes de Federações estão lá pelo dinheiro, e não fazem nada.

E na sua manifestação nos comentários aqui no Mundocross, Juvenal lançou uma questão, que era de que a mídia especializada deveria dar a palavra aos presidentes das Federações de Motociclismo, e por isto o site está lançando o espaço mensal destinado a entrevistas com os presidentes das Federações.

Como Juvenal foi quem deu a sugestão do espaço para os presidente, ele foi o escolhido para ser o primeiro entrevistado aqui no site. Ele mora atualmente em Aracaju, capital de Sergipe, mas nasceu em Itabaianinha, conhecida como a cidade dos anões, conforme Juvenal mesmo informou.

Além de ocupar o cargo de presidente na entidade, Juvenal é empresário no ramo de fotografias e pai do piloto Rodrigo ‘Lama’ Santos, e ele comentou com o Mundocross que não pretende de candidatar a reeleição para presidente da Federação Sergipana, mas deseja fazer parte da diretoria e com isto poder fiscalizar os trabalhos da CBM.

E  apesar da eleição para a escolha do novo presidente da CBM acontecer em agosto, Juvenal confirmou que irá realizar a etapa do campeonato Brasileiro de Motocross, marcada para o dia 25 de setembro em Aracaju. Então agora para você, uma entrevista com o presidente da Federação Sergipana de Motociclismo – FSM, Juvenal Alves dos Santos.

Placa de 5 segundos no ar : Largou…

Mundocross – Vai aqui a pergunta clássica das entrevistas do Mundocross, que é para quem ainda não teve o oportunidade de saber um pouco da tua história no Motociclismo. Por isto, conta para gente como foi que você chegou a presidência da Federação Sergipana de Motociclismo – FSM.

Juvenal Alves – Na verdade eu que montei a Federação Sergipana de Motociclismo – FSM. Comecei porque queria um campeonato de Enduro no nosso Estado, igual ao da Bahia. Lembro que ninguém queria, nem mesmo registrar um clube. Então fiz tudo: coloquei nome dos amigos como delegados dos clubes, o Alan, o Gago, o Werte, o Biela, e outros.

Fiz tudo no cartório como deve ser, e quando eles nem esperavam eu já estava com a FSM montada. Tive muitos problemas, muitas mágoas. Já abandonei a Federação por dois anos. Tentei tirar meu CPF, mas não consegui, e estou nessa até hoje porque acredito num futuro melhor para o esporte no Brasil.

Mundocross – A entidade maior do motociclismo brasileiro está passando nestas últimas semanas por um momento turbulento relacionado a saída de Alexandre Caravana da entidade. Qual a sua opinião sobre o que aconteceu em relação as contas da gestão de Caravana e sobre o desligamento dele da presidência da CBM ?

Juvenal Alves – Não é a minha opinião, e sim a documentação e a prestação de contas que não me convenceram e não convenceria ninguém que tenha estudado o primário. Fiz a auditoria e constatei as falhas grosseiras, então eu e os demais da comissão rejeitamos as contas e demos o parecer aos demais presidentes, e a maioria acatou. Me arrependo muito de não ter feito isso antes. Sabíamos que sempre teve coisa errada na CBM, não só na gestão do Sr. Caravana, mas também na anterior.

É um processo muito demorado de aprendizado. Só nesses últimos anos que comecei a entender como funciona a CBM, e cheguei a comentar uma vez com um presidente mais antigo porque ele não entrava no ministério público, já que tinha mais experiência. Aí ele falou para mim que se fizesse isso, ele perderia a etapa do Brasileiro de Motocross. Por isso acho que o patrocinador deveria escolher as sedes das etapas em conjunto com a CBM. É muito poder para uma pessoa só.

Juvenal Alves é presidente da FSM

Juvenal Alves é presidente da FSM

Mundocross – Pelo fator distância, fica muito difícil os pilotos do nordeste participarem do campeonato Brasileiro de Motocross, que tem a grande maioria das etapas na regiões sul e sudeste. Para amenizar esta dificuldade e para a região ter um campeonato forte, foi realizado anos atrás o campeonato Brasil Nordeste de Motocross, que deixou de acontecer. O que ocorreu que este campeonato não teve prosseguimento ?

Juvenal Alves – Este campeonato trouxe uma mudança enorme para nossas competições. Mudou a cara das corridas aqui no nordeste, e os pilotos começaram a se interessar mais. Só que a empresa contratada pelo patrocinador não cumpriu com suas obrigações, deixando algumas dívidas. Tenho certeza se fossem as Federações que tivessem organizado, teríamos até hoje este campeonato. Fiz de tudo para a continuação. Foram muitos projetos e reuniões, muitas ligações, passagens aéreas, mas não consegui trazer de volta o Brasil Nordeste de Motocross. Espero que outras empresas despertem para este campeonato.

Mundocross – Quais as maiores dificuldades que você encontra no dia a dia na presidência da Federação Sergipana de Motociclismo ?

Juvenal Alves – São duas as principais dificuldades: uma é a falta de pessoas para ajudar a administrar. Pessoas que vistam a camisa, como eu vesti nestes 13 anos. Temos uma pista com uma ótima localização, prefeituras que apoiam, mas faltam pessoas interessadas em ajudar de verdade. Falta material humano, já que meu tempo é pra dividir entre o Rodrigo (Lama), família, empresas, CBM, FSM e um pouco de lazer, é muita coisa. A outra é a falta de apoio das empresas do ramo motociclístico.

Mundocross – Fale para os leitores do Mundocross como é ser pai de piloto e ao mesmo tempo atuar como presidente da Federação Sergipana de Motociclismo ?

Juvenal Alves – É complicado. Muitas vezes tenho que prejudicar meu filho para não dar margem a falatório. Exemplo: ano passado uma prefeitura marcou uma etapa do Sergipano de Motocross junto com o Brasileiro de Motocross e tive que aceitar, senão já viu. O Rodrigo, que venceu as outras etapas, perdeu o campeonato porque teve que ir para o Brasileiro de Motocross. E outra coisa é que quando estamos aqui nas corridas eu não consigo dar a atenção para ele.

Mundocross – O que achas da CBM ter um Conselho Consultivo, composto por membros de Federações e pilotos, para que estes possam acompanhar as decisões macro da Confederação, tendo poder de fiscalização e quem sabe até de voto ?

Juvenal Alves – Concordo plenamente com a formação de um conselho, e isto já vem sendo estudado, inclusive para dividir poderes com o vice e diretores. Tenho certeza que isso irá acontecer na próxima gestão.

Mundocross – Qual a sua opinião em relação a uma hipotética mudança em relação as eleições nas Federações (e também na Confederação), de que ao invés dos Motoclubes elegerem os presidentes, o voto fosse dos pilotos filiados ?

Juvenal Alves – Pra que isso aconteça tem que mudar estatutos e principalmente a lei Pelé. Tentei fazer isso na FSM e fui barrado no cartório. Quem constitui um clube são os pilotos. As Federações são os clubes. E as Confederações são as Federações. As federações eu concordo com o voto direto, mas a Confederação seria complicado, pois as Federações maiores sempre levaria vantagem.

Mundocross – Com a entrada de Assis Aquino na presidência da CBM, e com eleições marcadas para agosto, o que você espera em relação ao relacionamento da Confederação e os patrocinadores dos campeonatos nacionais até 2010, Honda, Mobil e Pirelli. Você acredita que possa haver uma reconciliação e eles voltarem como patrocinadores dos campeonatos da CBM em 2012 ?

Juvenal Alves – Tudo isso depende da proposta do próximo presidente. Creio que entrando uma pessoa  já respeitada no meio, com uma postura diferente da do anterior, e que tenha um bom trabalho na sua Federação, não vejo motivo para os patrocinadores ficarem de fora, até porque o campeonato Brasileiro ainda dá muito retorno aos patrocinadores.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Juvenal dando apoio ao filho Rodrigo 'Lama' em uma corrida

Juvenal dando apoio ao filho Rodrigo 'Lama' em uma corrida

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mundocross – No mês de agosto terá eleição para presidente na CBM, e em relação a isto, quais são seus plano ? Pretende se candidatar ou vai apoiar algum candidato ?

Juvenal Alves – Não serei candidato. Quanto apoiar alguém, primeiro temos que saber quem é candidato. Segundo, conversar com todos e saber suas intenções e projetos. Isto tudo no papel, nada de conversa. Quando aparecerem os candidatos vou procurar saber com os pilotos da região do candidato para saber melhor sobre seu presidente e se todas as Federações fizerem isso, conheceremos melhor as intenções do futuro presidente da CBM.

Mundocross – Para última pergunta, o que você vai cobrar do próximo presidente da CBM e de sua diretoria em relação aos campeonatos, apoio as Federações e a gestão da entidade ?

Juvenal Alves – Em relação aos campeonatos, pistas mais bem tratadas, menor valor da inscrição, festa para entregar os diplomas aos campeões e melhor divulgação na mídia. Que a carteira da CBM seja um cartão de credito e dê descontos em uma rede de cinema por exemplo. Contratar uma empresa para buscar patrocínio. No caso uma CBM bem mais profissional. Que a CBM apoie as Federações com projetos em conjunto para aquisição de quadriciclo de resgate, transponders, palestra aos pilotos e diretores e muito mais. A gestão que seja transparente a todos filiados as Federação e aos pilotos.

Mundocross – Agora a palavra e o espaço são seus.

Juvenal Alves – Primeiramente agradecer a Deus, depois ao Mundocross que cedeu este espaço para nos ouvir. Há muito tempo eu esperava este momento para falar através de um veículo de comunicação que abrangesse todo os amantes do Off-Road.

Quero também agradecer a todos os pilotos que participam dos campeonatos Sergipanos, pois são eles as principais estrelas dos eventos. E fazer um apelo as empresas que lucram com nossos pilotos: lembrem do nordeste.

Nós somos consumidores em potencial. E aqueles pilotos que só sabem criticar, procurem saber mais de regulamento e leis, e tente apoiar sua Federação, pois unidos conseguiremos ir mais longe.

 

 

Perfil de Juvenal Alves
Nome completo : Juvenal Alves dos Santos
Data de nascimento : 11 de abril de 1968
Apelido : Nas Trilha Juju
Cidade onde nasceu : Itabaianinha – SE
Cidade onde mora : Aracaju – SE
Moto atual : Não tenho
Profissão : Comerciante na área de fotografia
Comida favorita : Arroz e feijão
Bebida favorita : Coca-cola
Filme preferido : De aventura
Livro preferido : O homem mais rico da Babilônia
Lazer preferido : Motocross, Trilha, Enduro, Rally
Esporte preferido fora o Motociclismo : Não tenho
E-mail : [email protected]
Site : www.ozureias.com.br

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Washington Igor -SE disse:

será

Wellington#84 disse:

Com certeza esse comentário ñ foi de Carira Cross!

Carira cross disse:

Juvenal que eu saiba vc tem um bom trabalho mas o problema que vc e muito individualista e pucha tudo para vc. um forte a braço e leve como uma critica construtiva.

Alessandro disse:

VALEU JUVENAL VOCÊ UM AMANTE DO ESPORTE, E NUNCA UM OPORTUNISTA DE PLANTÃO!!!

Twitter: www.relaxefacatrilha.com.br
Parabéns Jorge pela iniciativa, e um Parabéns muito especial ao nosso amigo Juvenal, saiba que o seu trabalho é reconhecido não somente no Nordeste, mas em todo Brasil. Um grande abraço a toda Nação Trilheira. Pepa “O Dinossauro” – Caçador de Trilhas… Site: Relaxe, Faça Trilha! http://www.relaxefacatrilha.com.br

DANIEL MOURA disse:

ESSE É O CARA,HONESTO E AMIGO DE TODOS SEM DESTRIÇÃO!!!!!!!!

robson disse:

ai, velho não ti preocupa NA HORA ELES INVENTAM OUTRO CHIMBOCA DA VIDA, e nós é que temos q aguentar….pelo amor ao esporte pelo menos, um narrasdor descente, hein

henrique disse:

MAS UMA PERGUNTA…CADE A GRANA??????
CADE A GRANA ?????PERGUNTA PRO CARAVANA CADE A GRANA????

henrique disse:

esrte cara e muito boa praca cheio de boas intencoes, mas infelizmente a federecao dele e muito fraca perante os tubaroes do sul sudeste, que nao saem de cima da carne seca, e pelo que sei uma andorinha so nao elege ninguem dentro da cbm….que ate agora parece ser uma distribuidora de interesses pessoais….a cbm tem entrada de dinheiro por todos os lados do governos federal estadual prefeituras patrocinadores a pergunta e pra onde vai este dinheiro?????
pergunta 2 que voce do mundocross nao fizeram . Onde esta a ptrestacao de conta os papeis que o presidente acima analisou??
pergunta 3 na segunda resposta ele acusa outras administracoes da cbm ???quem sao??? como foi desviado os interesses???
pergunta 4 porque os campeonatos sao direcionados aos pilotos patrocinados, pelos patrocinadores do evento caso campeonato brasileiro???
pergunta 5 porque nao fazer uma pre eleicao dos canditados a presidente da cbm, com os pilotos rankiados????
e por ultimo saber o presidente que saiu vai ser processado e requerido o que foi perdido de volta para cbm..ja que esta e uma confedetacao.????
minha campanha continua …se aposenta yasuda voce so faz mal a est e esporte vai pescar….
PS so falta o decio a qui de SP ser candidato faz me rir

Rodrigo disse:

Lembro do Juju correndo as etapas do campeonato Baiano de regularidade, Ótima pessoa, bom camarada e sempre muito correto.
Lembro tambem do esforço feito por ele para organizar a Federação Sergipana de Motociclismo e levar ao estado um campeonato de regularidade.
Hoje ele está um pouco mais gordinho, mas acredito que deve manter a mesma paixão pelo esporte. Desejo a ele muito sucesso e que continue esse grande trabalho que tem feito pelo motociclismo no nordeste.

Raul Guilherme disse:

Muito mais muito boa mesmo Jorge a ideia destas entrevistas…gostaria de ver o nosso representante do RJ sendo entrevistado também.
Parabéns pelo site…
Abração meu amigo

Washington Igor -SE disse:

Ok Juvenal, concordo com vc que muitos pilotos só sabem criticar,porém a federação precisa se abrir para as criticas construtívas.
Muitas vezes, somos ignorados, ao tentar opinar sobre algo que não está correto.
Reconheço sua preocupeção com a federação e sua idoneidade.Em contra partida, percebo sua dificuldade em organizar quase 10 categorias, sem delegar funções que sabemos não ser possível para uma só pessoa.
Não estou cobrando nada, que já não tenha visto, em outros anos no sergipano, como a divulgação da classificação e o resultado da corrida em tempo hábil.Essa função poderia ser delegada a representantes de cada categoria como ocorre atualmente com a trilheiros entre outros aspectos.
Recordo, são coisas que aprendi com sua organização, nesses 9 anos que participo.
Você não pode deixar cair o padrão do campeonáto sergipano, que ainda é consssiderado o melhor do nordeste.Abraço!!

S2 Sports disse:

Twitter: s2sport
Parabéns Presidente, sábias palavras!

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly