Tupanciretã recebeu a cinzenta 3ª etapa do Gaúcho de Velocross

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 28 de setembro de 2021 - 19:15

A terceira etapa do Gaúcho de Velocross ocorrida em Tupanciretã, nos dias 25 e 26 de setembro teve um misto de alegria pela continuidade do Campeonato dentro de um ano de incertezas rodeado da pandemia de covid 19. Por outro lado a tristeza pela perde prematura do nosso grande amigo Fabiano Ribeiro #75 que no sábado pela manhã após os treinos, sentiu um desconforto, pediu para ser levado ao hospital, na ambulância foi batendo papo com os socorristas e lá no hospital foi acometido por uma parada cardíaca que o levou de nosso convívio.

Largadas acirradas

Após reunião com pilotos e organizadores foi decidido continuar com a etapa, primeiro para homenagear Fabiano que era um apaixonado pelo velocross que inclusive havia sido representante da modalidade junto a FGM, e segundo por que nosso calendário ficaria muito apertado com mais uma transferência.

Durante todo final de semana pilotos e equipes em algum momento homenageavam Fabiano Ribeiro 75

As provas no Parque Motonáutico começaram com a VX 45 e VX50 andando juntas. Na ponta o experiente Giovane Pick larga bem fazendo o hole shote com Rafael Pereira, Júlio Balzan (Piloto da casa) e Antônio Freitas logo em seguida. Logo no começo da corrida, Balzan assume a ponta, Pick vai para 2º, chega a ameaçar, encosta nas voltas finais, mas Balzan recebe a quadriculada para o delírio da galera. Giovane e Rafael Pereira também subiram no pódio da VX45.

Balzan venceu em casa e levou torcida a aplaudi-lo

A VX50 a classificação teve Júlio em 1º com Pick em 2º, seguido de Antônio Freitas, Fernando Rigol e Élcio Oliveira.

Pick #125 largou bem em todas

Minimotos e TR100

Na Ponta o piloto de Montenegro João Gabriel Wovst, “O Bolachinha” com Guilherme Treicha, Pedro de Vargas, Nícolas Bernardo e Lucas Ozelame no pelotão inicial. Bolachinha acelera e no começo abre boa vantagem do pelotão. No meio em diante, Bolachinha administra a vantagem quando Guilherme se mantinha em 2º e Murilo Rezner já ocupava a 3ª colocação. Pedro era o 4º colocado e Gabriel Rezner vinha em 5º no pelotão. O resultado final manteve a vitória de João Gabriel Bolachinha e os demais logo em seguida sem mudar as posições.

Bolachinha venceu nas minimotos

Na TR100, Pedro Vargas venceu a prova e somou mais 25 pontos com Nícolas Bernardo e Lucas Ozelame.

Podium geral das categorias de base Minimotos e TR100

65cc

Na categoria que é a confirmação do prosseguimento da base Leonardo Sirena largou na ponta, com João Lanzzarin, João Cassol, Murilo Pereira e Bruno Alegre formando o primeiro pelotão e disputando a curva um. Ainda na volta inicial, Lanzzarin pressiona e na 2ª volta já aparece na liderança. O piloto de Serafina Correa acelera e logo abre grande vantagem visual na pista. Sirena se manté em 2º do começo ao fim. João Cassol se manteve no primeiro pelotão e Guilherme Cauduro que fez prova de recuperação vinha em 4º lugar. João Lanzzarin, Leonardo Sirena, João Cassol, Guilherme Cauduro e Bruno Alegre subiram no pódio.

João Lanzzarin venceu a 65cc

 

VX 45 Nacional e VX50

Na disputa da curva um da categoria, Giovane Pick e Rafael Valentini dividem a curva um, com Everton Marchezan, Claudiomiro Oliveira e Antônio Freitas. Pick é pressionado por Rafael nas primeiras voltas, mas segura a posição do começo ao fim. Rafael se livra da pressão de Marchezan e segura a 2ª posição. No pódio Marchezan, Freitas e Fernando Frazão também subiram no pódio.

Na VX50, Pick também subiu no lugar mais alto com Antônio Freitas em 2º e João Cândido (Sarapico) em seguida. Claudiomiro e Marco Farias (O Negão) foram ao pódio em 4º e 5º lugares consecutivamente.

Antônio Freitas piloto foi bem na etapa

VX4 Importada

Claiton Portela, O Cau acelerou firme na largada e largou na frente das feras Luciano De Conto, que corria com a camisa do amigão Fabiano Ribeiro e logo em seguida Júlio Balzan. Mais atrás Giovane Pick, e Fabrício Ferrari. Ainda no começo, Balzan assume a 2ª colocação enquanto que Cau abria boa vantagem. Cau venceu de ponta a ponta seguido de Balzan, De Conto, Pick e Ferrari, os cinco do pódio.

Cau levou a etapa

De Conto homenageou Fabiano Ribeiro #75

230 Ligh

Matheus da Costa largou na ponta com João Marcelo e Pedro Marchezan. No começo de prova, João Marcelo abandona, no momento em que Marchezan já ocupava o 2º lugar. Na frente Theus abria grande vantagem. Jader Martini também buscou posição melhor e já era o 3º, encostando em Marchezan que ao final segurou a posição. Theus venceu de ponta a ponta com Marchezan, Jader, Bernardo Wrzesinski e Daniel Minozzi.

Theus venceu a Ligth

VX4 Nacional

No retorno de Rafael Bertagnolli às pistas, ele largou na frente com Elizandro “Costinha” da Costa em 2º, Luciano De Conto em 3º. Rodrigo Von Ende e Rafael Valentini em seguida. O duelos eram intensos e na 3ª volta De Conto chega no líder e faz a ultrapassagem. Os dois trocaram de posição em outras vezes. No final, De Conto assume a ponta e abre para vencer a etapa. Bertagnolli foi 2º seguido de Von Ende, Costinha e Valentini.

Vitória incontestável de Luciano De Conto

VX3 Importada

Rodrigo Galiotto faz a largada perfeita com Juliano Mercalli no seu encalço com Claiton “Cau” Portela em seguida. Cau precisou de 5 voltas para assumir a 2ª posição, e no final ameaçou Galiotto, tanto que chegou a ultrapassa-lo, mas Galiotto retomou a posição. A chegada foi no detalhe. Galiotto, Cau, Mercalli, Carlos “Nanico” Lorenzini e Fabrício Ferrari os 5 primeiros.

Galiotto levou a VX3 Importada praticamente de ponta a ponta

Intermediária VX1

Nessa o piloto Gabriel Schiefelbein da Silva largou na ponta com Claiton “Cau” Portela e Maurício Ozelame em sua sombra. Já na 1ª volta Guto Campos que largou mais atrás, fez prova de recuperação e já duelava com Gabriel. O pega durou toda prova, quando na volta final Guto assume a ponta para vencer. Gabriel foi o 2º Leonardo Turatti também buscou posições e chegou em 3º. Diomar Campos e Ozelame subiram ao pódio.

Guto em prova de recuperação venceu em Tupanciretã

Com a adequação de algumas categorias, o domingo começou com 3 provas.

VX3 Nacional

Rafael Bertagnolli largou na ponta e teve consigo Elizandro Costinha e Carlos Nanico em seguida. Tranquilo na ponta, Bertagnolli viu nas 3 voltas finais Costinha se aproximar. Ao forçar a tomada de liderança, Costinha teve problemas na moto e ainda viu Nanico ultrapassa-lo e assumir a vice – liderança. Charles Gomes foi 4º com Ivan Pilz na 5ª posição na prova vencida por Bertagnolli de ponta a ponta.

Bertagnolli venceu na volta às pistas

 

VXF Nacional

Pryscila Neves da Silva faz uma grande largada e puxa a liderança da categoria com Kamila Rocha logo em seguida e Stefanie Dal Ri Gallas em 3º. Logo na 2ª volta Kamila já parte para o ataque e cola na líder. Com 2/3 de prova Kamila assume a liderança com Pryscilla ficando por 2º e Tais Knies vindo em 3º col Gallas na 4ª colocação. As posições ficaram assim até o final e a 5ª colocação veio com Letícia Bordin.

Kamila venceu o duelo da Feminina Nacional

No domingo a tarde todos os pilotos da etapa se reuniram na pista, fizeram uma homenagem e orações com transmição e logo em seguida deram volta na pista.

Júnior e VXF Importadas

Pryscila Neves largou na ponta da geral com Gabriel Berlatto em 2º, Luan Durante e Bernardo Zilio. Pryscila bre na geral, mas Bernardo vem como uma bala para assumir a liderança na 6ª volta. Bernardo, Gabriel, Luan, Eric Paini e João Lanzzarin subiram no pódio da categoria Júnior.

Bernardo o vencedor da Júnior

Na MXF Importada Pryscila venceu seguida de Lilian Lucinda Santos.

Pryscila Neves a 1ª da MXF importadas

Público de convidados e da equipes do box acompanhavam as corridas

VX2 Intermediária

No duelo da categoria Lucas Turatti largou na ponta com Gabriel Bilhar em seguida. Logo no início Gabriel ataca e após um bom duelo, assume a ponta, Turatti vinha em 2º e Matheus Hernandes na 3ª posição. Posições que ficaram até o final. José Henrique Cadore e Lorenzo Machado também subiram no pódio.

Gabriel Bilhar venceu a Intermediária 2

Nacional 250 intermediária

João Marcelo Silveira largou na ponta usando a parte fechada da curva um, ao seu lado na parte de fora vinha Lucas Puntel e Pedro Marchezan. Mais atrás Gustavo Deufel e Gustavo Capitânio. Com 1/3 de prova concluída João Marcelo continuava líder, Marchezan vinha em 2º com Matheus da Costa em 3º. Nesse instante Jader Martini que fazia prova de recuperação já chegava no pelotão e Puntel era o 5º. Na reta final, João Marcelo confirma a vitória com Jader em 2º, Marchezan em 3º seguido de Matheus e Puntel que subiram no pódio.

João Marcelo venceu a 250 de ponta a ponta

VX2

A corrida mais disputada da etapa e uma das mais esperadas do final de semana, foi a VX2. Mauro Brazaca JR largou na ponta seguido de Lucas Turatti, Leonardo Lizott e Matheus Hernandes no pelotão principal. Vindo de trás Gabriel Bilhar fazia prova de recuperação e já era o 4º na 3ª volta. Enquanto isso Lizott assumia a vice- liderança. Na 9ª volta, Lizott assume a ponta, Brazaca era o 2º e Bilhar na 3ª posição. Posições que ficaram do começo ao fim. Turatti e Hernandes completaram o pódio na vitória de Lizott.

Deu o professor Lizott na VX2

Força livre Nacional

Jordan Martini “Deu na veia” e largou na ponta, fazendo o hole shote da categoria com a fera Alex “Caixa d água” Alarcon em 2º, Cássio Rossi em 3º, Jonilson “Nisso” da Costa em 4º e Vinícius Rigol seguida completando o pelotão principal. Fechando a porta aos ataques de Alarcon, e mais tarde de Jonilson, a moto de Jordan não aguenta e apresenta problemas deixando o piloto na mão e finalizando em 9º lugar. Na frente Jonilson era o líder e após o erro de curva que tirou Alarcon da pista, a vitória de Nisso foi confirmada. Rigol buscou o 2º lugar, Antônio Brazaca o 3º com Jefferson Batista e Joe da Costa.

Nisso levou de bandeja a Força Livre. Andou sempre no pelotão principal

250 Pró

Arthur Barcelos fez a largada dos sonhos e pulou na frente segurando as feras Jordan Martini, Mauro “Brazaquinha” Júnior e Alex Alarcon. As disputas eram quentes e com 1/3 de prova, finalmente Jordan assume a liderança. Mais tarde ”Brazaquinha” assume a vice-liderança, aperta diminui a diferença mas Jordan segura e recebe a quadriculada em 1º para o delírio da equipe. Mauro Brazaquinha em 2º, Arthur, Alarcon e Vinícius Rigol os 5 do pódio.

Jordan, tem as técnicas mais apuradas em curvas do velocross e vence a 3ª etapa

Em recuperação Brazaquinha ficou com o 2º lugar

VX1

Finalizando a etapa, Jordan Martini largou novamente na frente com Leonardo Lizott em 2º e Brazaquinha em 3º. Lizott pressiona mas Jordan Martini fecha aporta. Brazaquinha abandona com problemas na 6ª volta deixando seu irmão Antônio Edu Brazaca na 3ª colocação. As posições se mantiveram sem alterações até o final com Bruno Rigol também subindo no pódio.

Antônio Edu foi 3º na VX1

A REPORTAGEM DO SITE MUNDOCROSS TEVE O PATROCÍNIO DA

COMERCIAL IVAGRO – A SUA FORÇA NO AGRONEGÓCIO

 

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly